“Soberania”: palavra ainda desconhecida por muitos

Hoje conversava com uma amiga evangélica que, em meio a um debate “neopentecostal” que visava estabelecer se Deus realmente cura todas as pessoas, ao final exclamou: “Mas Deus é soberano”. E acrescentou: “soberania: aprendi essa palavra com você”.
Confesso que fiquei muito contente ao ver que aquela mulher de oração e fé, havia aprendido com este pequeno servo de Deus a saborear e confessar a crença em um Deus Soberano. No entanto, passado alguns segundos, comecei a questionar o seguinte:
(1) Como uma pessoa pode passar 10 anos frequentando diferentes igrejas e desconhecer um conceito tao importante como a soberania de Deus?
(2) Que classe de evangelho é esse, que anuncia curas, promete unção, milagres e outras benesses e esquece de dizer às pessoas o principal: Que Deus é soberano e age como e quando quer?
(3) E terceiro: Que “deus” é esse que está sendo pregado nos templos evangélicos, que é tudo, menos soberano? Poderá existir Deus, se excluímos sua soberania? Aliás, dizer “Deus Soberano” não é, por si, de uma redundancia gritante?
(4) Se o Deus Soberano, o “Kyrios Despotes” nao está sendo pregado, quem é anunciado em seu lugar? Qual é o “deus” que está sendo confessado em cada esquina, em cada templo evangélico da nossa cidade? Papai Noel? Coelinho da Páscoa? A fada dos dentes?
Meus irmãos, não nos deixemos enganar pelas vãs sutilezas daqueles predadores que querem enriquecer à expensas das nossas almas: Há um só Deus, Soberano e criador de todas as coisas, que tudo faz para a sua própria gloria! Tudo está diretamente ligado a Ele, pois “dEle, por meio dEle e para Ele são todas as coisas, ETERNAMENTE, amém”.
Texto de Leonardo Gonçalves postado via Facebook. Contundente!

E AÍ, O QUE ACHOU? COMENTE!

Deixe seu comentário.